Música

 

Nas últimas décadas, inúmeros estudos têm sido feitos sobre as capacidades musicais e a vida emocional do bebé. A investigação tem concluído que os processos de percepção auditiva aparecem muito precocemente e segundo Gomes-Pedro (1985), o bebé recém-nascido tem a capacidade de ouvir e de estar atento aos sons à sua volta, procurando localizar, com os olhos e a cabeça, a origem dos mesmos.

 

Gordon (2000), investigador americano especialista em psicologia e pedagogia musical, acredita que as crianças têm de ser estimuladas precocemente através de uma aprendizagem musical informal, de modo a desenvolverem competências musicais específicas, sendo o período ideal dos zero até aos dezoito meses. Para o autor, as capacidades musicais são inatas, mas a partir do nascimento o bebé começa a perder essas capacidades. A aquisição de competências ao nível da música pode estar associada à aprendizagem de uma linguagem, isto porque é fulcral que as crianças numa primeira fase aprendam a ouvir padrões melódicos e tonais, canções, provérbios, rimas, ou seja, aprendam vocabulário musical, para mais tarde poderem, ter uma aprendizagem formal. Posteriormente deverão aprender a falar/cantar/entoar, isto é serem capazes de reproduzir e criar, e só numa última fase serem capazes de ler e escrever música. A fase de desenvolvimento de vocabulário de audição de padrões tonais e padrões rítmicos é desenvolvida ao longo de vários meses, tal como o período que demora a desenvolver o vocabulário da linguagem da criança.

 

No âmbito desta atividade desenvolvem-se competências especificamente musicais, nomeadamente: a concentração, a memória auditiva, a audição interior, a sensibilidade estética, a expressão musical como forma de utilizar a música enquanto linguagem capaz de suscitar emoções. Por outro lado, a Iniciação Musical também constitui uma educação pela música ao desenvolver componentes globais da personalidade da criança, sejam de ordem psicológica, afetiva, de coordenação motora, de sociabilidade...

 

Deste modo, mais do que ensinar no sentido de atingir objetivos específicos e concretos, trata-se antes, de proporcionar às crianças a oportunidade de absorver e explorar o vocabulário musical da sua cultura, num processo semelhante à aquisição da linguagem materna, durante o qual a criança ouve antes de falar, imita antes de compreender, e só depois consegue exprimir as suas ideias e sentimentos de uma forma consciente: é fundamental que nesta faixa etária a criança adquira um vocabulário musical de escuta rico, diverso que lhe dê bases para o desenvolvimento da audição, da compreensão musical, que desenvolva o seu pensamento musical enquanto forma específica de conhecimento do mundo.