Mandarim

 

Projecto: “Ensino de Chinês nas Escolas”

 

Há mais de 10 anos, o chinês tem vindo a ser estudado como língua estrangeira em paralelo com o francês, o alemão, o russo, o espanhol e outras línguas, nas escolas primárias e secundárias de países europeus como a França, a Inglaterra e a Alemanha.

Os resultados mostram que iniciar uma língua muito diferente e culturalmente distante, como o chinês, numa idade mais tenra ajuda ao desenvolvimento da inteligência (sabe-se que a língua chinesa, graças à sua forma de escrita ideográfica, estimula a utilização da semiesfera direita do cérebro). Isto para além da necessidade crescente do conhecimento da língua de um país cada vez mais importante a nível global, tanto económica como tecnologicamente.

 Outro aspecto interessante é que ter contacto com uma língua cultural e geograficamente distante ajuda à sensibilização da capacidade de auto-adaptação a um mundo cada vez mais multicultural.

 

---------------------------------------------------------------------------------------

 

Níveis de aprendizagem:

 

Nível I (Sem pré-requisitos)

 

Para as três vertentes - compreender, falar e escrever: o aluno vai ser preparado para as seguintes competências:

  • Ter uma noção clara dos 5 tons e pronunciar claramente as sílabas e palavras, dentro de frases muito simples, sobre situações familiares; por exemplo, apresentar-se e cumprimentar.
  • Perguntar e responder a perguntas simples sobre si próprio e pessoas que lhe são mais próximas em frases simples e reduzidas.
  • Poder manipular correctamente o processo de escrita dos caracteres de acordo com as regras de gestão gestual e espacial; tomar apontamentos na aula com os caracteres correctamente copiados; ler frases curtas imediatamente relacionadas a si próprio e com as pessoas que lhe são mais próximas.

 

 Nível II *

(*Pré – requisitos: nível I)

 

Os alunos devem ser capazes de:

  • Ler e compreender pequenos textos referentes aos conteúdos em estudo, ser capaz de responder  oralmente a questões dos  mesmos.
  • Escrever e falar sobre situações relacionados consigo e com a sua família: nome, idade, nacionalidade, data de aniversário, animais de estimação, local onde reside, o que gosta de comer e beber.
  • Apresentar a família e os amigos.
  • Saber os números até 99 ( oral e escrito).  
  • Saber perguntar e responder a questões relacionadas com a data.
  • Partículas interrogativas tais como, quem, quanto, quando ( data), qual, como (de que modo).
  • Descrever  a sua casa/ quarto,  nomeadamente ser capaz de enumerar as divisões da casa .
  • Recorrer ao uso de adjetivos como grande, pequeno, bonito.

 

 Nível III *

(*Pré –requisitos:  nível II)

 

Os alunos devem ser capazes de:

  • Ouvir e compreender, ler e escrever  textos relacionados com os conteúdos em estudo .
  • Fluência no discurso oral, compreensão oral e escrita em questões relativas aos temas em estudo.

 

---------------------------------------------------------------------------------------

 

Temas  gerais:

  • Profissões e locais de trabalho.

O aluno deve ser capaz de questionar e responder a perguntas sobre a profissão e ou local de trabalho recorrendo ao uso adequado dos classificadores para pessoas ( suas profissões) e empresas;

  •  Revisão sobre os países e cidades mais utilizados em contexto real;

 

  • Naturalidade e residência, clara distinção das expressões usadas em ambos os casos.

 

  • Idade

Domínio dos vários modos de questionar sobre a idade  de alguém ( aspetos culturais)

 

  • Modo de tratamento em relação a pessoas que não são da família.

 

  • Aspetos físicos tais como: peso e altura.

O aluno deve ser capaz de interrogar e responder a questões pessoais acerca das suas características físicas.

 

  • Modo de conversação ao telefone

Expressão utilizada para atender uma chamada. Combinar um encontro com alguém para o local a definir (residência ou local de trabalho)

Convidar o outro para um jantar.

Questionar acerca de determinada morada (pontos de referencia como longe / perto)

 

  • As horas

Os vários modos de responder a questões sobre as horas.

Expressões usadas para  introduzir uma questão. Descrição das rotinas do dia com a descriminação das horas.